Menina do Poeta

Postado por Drausio Silva em 28 janeiro, 2014 Letras | | Nenhum comentário

(Drausio)

Enche a cabeça e o copo de um líquido
Distorce a palavra e a ação
Desliza a navalha na face
E traça entre linhas a bela canção
O rosto macio a pele
Cabelos até o coração
Beleza nos olhos do poeta
Palavras passadas ao papel
Relíquias num trago, num traço
Indago, desfaço
Te gosto demais

A linha ondulante
Cortando sua face
Bordando, vestindo
Sou corpo ao meu
Que fazes da vida?
Mendigas palavras?
O que diz o poeta ao papel?
Rouba da mente o inconsciente agente
Detalhas tudo que faz

Me intrica no sonho e no sono
Me envolve de forma de quem já foi mais
Me encanta e já neste canto
Me calo, no entanto, palavras atrás
Discorda do que já me disse
Existe silêncio entre nós
A sua presença em carta
Aumenta a saudade
Te gosto demais

Alinho a tristeza
Diante às estrelas
Te tomo te trago
Na sua grandeza
Que fazes da vida?
Mendigas palavras?
O que diz o poeta ao papel?
Rouba da mente o inconsciente agente
Me engole em tudo que faz

Quer comentar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *